The Ivy League Style

A Ivy League é um grupo de oito universidades de prestígio dos Estados Unidos: Harvard, Yale, Princeton, Brown, Columbia, Pennsylvania, Cornell e Dartmouth. O termo “Ivy League” vem da hera que cobre vários prédios dessas instituições e, originalmente, se referia às ligas esportivas formadas por essas oito universidades. Nos últimos anos da década de 1950, o estilo de se vestir dos alunos começou a chamar a atenção e a influenciar a sociedade americana em geral e também outros países (Sendo a Inglaterra e o Japão os mais evidentes). Em 1965, no Japão, foi lançado o livro “Take Ivy”. O livro foi resultado de uma viagem de quatro japoneses aos campus dessas universidades. Interessados em registrar e tirar fotos do estilo de se vestir e do estilo de vida dos estudantes, fizeram o que seria o registro definitivo do estilo Ivy League.
Eu pretendia comprar o livro, mas acabei ganhando como presente, no natal passado. Com certeza, foi um dos melhores presentes que já ganhei. Fui apreciando cada página lentamente, tentando captar ao máximo a essência desse estilo, que foi uma enorme influência para tudo o que veio depois dele. Observando as fotos é até difícil acreditar que foram tiradas há quase 50 anos atrás, ainda mais levando em consideração que um dos estilos que estão em destaque hoje em dia é totalmente baseado no Ivy League style. Seu maior representante é um tipo específico de terno, que se tornou popular na segunda metade da década de 1950. Blazer sem ombreiras, com fenda única, lapela notch e 3 botões (sendo apenas dois utilizáveis), calças sem pregas e com barra no-break (em que não há dobras quando se está em pé, ou seja, o tecido não costuma ficar em cima dos sapatos a ponto de formar dobras).
Além do icônico terno, as roupas casuais também marcam o estilo. Os esportes tiveram grande importância em sua formação. Ao contrário do quê o senso comum promove, os alunos dessas universidades acreditavam que a intelectualidade não é separada dos esportes e do vigor físico. Como pertenciam às mais conceituadas universidades do país, os alunos precisavam se esforçar bastante para dominar o conteúdo e serem aprovados nos testes semanais. Além disso, muitos deles faziam parte das equipes esportivas de suas universidades ou jogavam por pura diversão. Eram atletas de futebol americano, remo, beisebol, basquete, lacrosse e outros esportes. Esse fato se refletiu na forma de vestir dos alunos. Eles misturavam peças casuais, como trousers e camisas button-down, com peças esportivas como parkas yacht, camisas de rugby, camisetas de futebol americano, tênis, jaquetas varsity etc. Para nós, isso pode parecer banal, mas naquela época era algo incomum e justamente por isso chamou tanto a atenção.
As adaptações também eram singulares. Durante o verão, era comum o uso de sapatos sem meia e muitas trousers viravam shorts. E, ao invés de fazer a barra para dar acabamento, eles deixavam os shorts da forma como ficava ao acabar de cortar. Não faziam questão de esconder que, simplesmente, cortaram suas calças. As vezes, sweatshirts também tinham suas mangas cortadas para se adaptarem ao clima. Em dias de chuva, por que, ao invés de um trench coat, não usar uma parka yacht? Em dias de frio, porque, ao invés de um blazer, não usar uma jaqueta varsity? E, de vez em quando, por que não usar tênis ao invés de sapato? O estilo da Ivy League é exatamente sobre essa diversidade.

O orgulho em pertencer às suas respectivas universidades era visível. Os alunos adotavam as cores de suas universidades em suas jaquetas e suéteres, além dos patches colados com o nome, inicial ou mascote símbolo da universidade. Usar suéteres e camisetas com o ano de sua provável graduação também era um costume. Tênis surrados, suéteres furados e jaquetas velhas nunca passaram um ar de desleixado, pois eram usados por opção. Eram peças que os estudantes gostavam de usar pois tinham uma história, os acompanharam em várias situações. O penny loafer era o calçado mais popular entre eles, além de longwings e derbies lisos. Outras peças muito usadas eram os shorts com padronagem madras, hoodies e jaquetas de golf na cor bege. Só era comum vê-los usandos ternos aos domingos, dia em que costumavam ir à igreja.
Cada universidade adotava um dress code, que estava mais para uma série de recomendações para os calouros do que para um código que deveria ser seguido à risca. Alguns ítens do “20-article dress code” da Universidade de Yale:

  • “Você pode se vestir casualmente no campus, já que vai passar a maior parte do tempo na classe ou no dormitório. No entanto, você deve tentar se vestir adequadamente, como um estudante.”
  • “Os vestuários recomendados são os seguintes: trousers de algodão na cores branco, creme e azul sólido, respectivamente. Outros ítens importantes são: camisas button-down e listradas, ski parka, penny loafers e tênis.”
  • “Fique ciente de que o suéter mais popular é o crewneck, feito em lã shetland.”
  • “Quando for a um encontro ou a um restaurante, use blazer e gravata.”
  • “Tenha certeza de que está escolhendo um suéter de design e de cor básica quando for usá-lo por baixo de um blazer”
  • “Tente escolher um cardigan de estilo ortodoxo”
  • “A jaqueta varsity é uma das peças mais populares do campus. Mas, siga o senso comum e evite as jaquetas com um design excessivamente elaborado ou de padrões chamativos.”
  • “Você pode ir a qualquer lugar com um par de penny loafers. Pares adicionais de plain toe loafers e wingtip loafers também podem ser úteis. Além de pares pretos, tente os pares em tons de marrom.”
  • “Meias de algodão para uso diário também podem ser nas cores rosa e azul.”
  • “Para ocasiões formais (Exceto para encontros), você precisará de um terno de cor escura.”

O estilo da Ivy League é sobre uma forma livre de se vestir para os padrões da época, uma forma que só existia dentro do universo da universidade. Para além dos ternos, os estudantes buscavam a forma mais eficiente – e estilosa – de se vestir dentro do campus, dando atenção ao conforto, afinal, eles passavam o dia inteiro nas áreas abertas e instalações de suas universidades. O estilo da Ivy League é tema de vários artigos e livros. Influênciou uma geração de músicos de jazz e estrelas de cinema. Alguns podem ter estranhado a postagem, já que, a princípio, está um pouco deslocada da proposta que sempre teve o Ubora. Porém, é muito importante entender a relevância que tem esse período específico da história da Ivy League, quando o assunto é estilo masculino. Obviamente, o “Ivy league style” exerceu muita influência sobre o modo de se vestir dos negros em várias partes do mundo, em várias décadas.

6 respostas em “The Ivy League Style

  1. Hoje conheci o seu blog através de um link no Street Etiquette. Comecei um blog recentemente apenas para passar o meu tempo. Já estava ficando frustrado com os resultados que minha busca por sites de moda e estilo masculino me apresentavam. O Ubora virou presença ilustre na minha lista de favoritos e é com certeza, o melhor blog de estilo que já vi no Brasil. Inveja de você por ter este livro!

    • Obrigado, Lucas. Gostei bastante do seu blog e também do seu tumblr (E já seguindo!). Mostra que tem um gosto muito apurado. Um elogio de alguém assim vale por vários.

      Abração!

  2. Pingback: 1966 em Watts | Ubora

  3. Pingback: Jamaicanos em Londres e Fred Perry Subculture | Ubora

  4. Pingback: Conselhos gerais | Ubora

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s